8 de janeiro de 2010

Entrevista com João Elísio Fonseca - Biografo de Dalva de Oliveira

Apresento para vocês fãs da Nossa Rainha, uma entrevista com João Elísio Fonseca, biografo de Dalva de Oliveira - Escritor do livro: "A Estrela Dalva".Com a minissérie, muitas pessoas conheceram Dalva e querem saber mais sobre sua vida. Indico esse livro, para conhecerem detalhes da Vida da Rainha da Voz! Como ele foi editado há muito tempo atrás, encontamos ele à venda, apenas em sebos. O Site "Estante virtual" possue ele. Comprem esse livro!

Forte abraço, fique com Deus!
Paulo Henrique de Lima.

5 comentários:

  1. Caro Paulo, parabéns pelo blog!
    Acabei de comprar, há pouco, o livro do João Elísio no site Estante Virtual.
    Agora irei assistir a vídeo-entrevista que vc postou.
    Tenho uma dúvida: que fim levou o Dorival?

    Um grande abraço!
    Henrique Kurtz
    Rio - RJ
    hkurtz@oi.com.br

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo blog! PARABÉNS!!!! Xeretando na net para compor matéria pro meu blog cheguei até aqui. Fabulosa dedicação, esmero e atualidade!
    Parabéns acho pouco, por isso divulgarei seu link na minha modesta matéria sobre a Estrela Dalva. Adorei tudo!

    Forte Abraço

    ResponderExcluir
  3. poxa esqueci de tye mandar meu link...kkkk

    www.eltonjrworld.blogspot.com

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Curioso como aparece um bando de fans de ocasião. Só se interessam e comentam quanto o artista morre, ou quando sua vida/morte é contada em uma minissérie.
    Dalva foi uma grande cantora, mas tb não era santa. Aprontou muito tb Deus a tenha. Mas chega de lambe, lambe, só pq a Globo passou a minissérie.

    ResponderExcluir
  5. "Caro Antonio:
    Pela ocasião se constroi a memória. Tens que compreender que a época é outra e as curiosidades e atrações se manifestam quando as informações cintilam aos olhos. A era do rádio foi um marco para o que chamamos hoje de comunicação e todos aqueles; jovens, ou quaretões como eu; que gostam de música se fascinam quando ao mito revela se, seja vivo ou morto. As ocasiões fazem a memória como já disse, mesmo que esta data tenha sido 2010. A intimidade de Dalva pouco importa pelo fato que o que chama os olhos e o coração, vem do talento latente e vivo que disperta, mesmo 38 anos depois. Valeu e muito ter conhecido dalva apenas agora."
    abraço

    ResponderExcluir